As especialidades da Fisioterapia, os seus objetivos e as vantagens que trazem à sua vida



O fisioterapeuta, para além dos conhecimentos e competências base que necessariamente todos os fisioterapeutas têm de adquirir, ao longo da sua carreira vão realizando formações avançadas para adquirir conhecimentos e competências próprias e especializadas de forma a prestar melhores cuidados e a casos clínicos mais específicos e complicados.

Os fisioterapeutas são os especialistas na normalização e otimização do movimento humano e da funcionalidade. A fisioterapia visa restaurar o movimento e a função quando alguém é afetado por uma doença, disfunção ou problema de saúde, seja ele agudo ou crónico. Os fisioterapeutas desenvolvem a sua atividade hospitalar em indivíduos internados e ou em contexto de ambulatório. São membros-chave da equipa hospitalar/clínica. Seja na área músculo-esquelética, cardiorrespiratória, neurológica, pediátrica ou geriátrica, os fisioterapeutas pertencem a uma equipa interdisciplinar que contribui para a resolução do problema de saúde e melhoria da qualidade de vida dos indivíduos.

As especialidades da fisioterapia são:

Fisioterapia Cardiorrespiratória

A Fisioterapia Cardiorrespiratória, tal como o nome indica, foca-se na recuperação e/ou tratamento dos sistemas cardíaco, respiratório, vascular e metabólico. Os fisioterapeutas auxiliam na higiene brônquica, no ensino de estratégias para gerir o cansaço, elaboram programas de exercício físico adequados para pessoas com um quadro clínico específico.

A Fisioterapia Cardiorrespiratória tem como objetivos:

  • Reduzir os sintomas (dispneia, fadiga, tosse, expetoração);

  • Manter ou melhorar a tolerância ao exercício;

  • Melhorar a funcionalidade (i.e., através do treino das atividades diárias);

  • Manter ou melhorar o nível de atividade física;

  • Melhorar a eficiência da ventilação e reduzir o trabalho respiratório;

  • Apoiar o desmame da ventilação mecânica e a ventilação não-invasiva;

  • Mobilizar e ajudar a remover secreções;

  • Treinar/capacitar os doentes para a adoção de comportamentos saudáveis;

  • Aumentar a autoeficácia na gestão da doença;

  • Reduzir a ansiedade e depressão relacionada com o impacto da doença cardiorrespiratória;

  • Reduzir a dor torácica.

Cuidados Continuados e Cuidados Paliativos

Fisioterapia em Cuidados Continuados destina-se a pessoas em situação de dependência temporária ou permanente, com competências e objetivos terapêuticos diretamente relacionados com tipologia da RNCCI. O equilíbrio da pirâmide etária há muito que se tem vindo a inverter, tanto num contexto nacional como mundial. O papel do idoso na sociedade ganha dimensão à medida que a esperança média de vida aumenta e os cuidados de saúde permitem envelhecer mais e melhor. A qualidade da saúde com que se vive e envelhece é um fator de preocupação. Este cuidados, por norma são prestados a uma população mais idosa, que exige uma maior prevenção da saúde evitando ou atrasando alguns problemas comuns com a idade.

Dentro da especialização de cuidados continuados o profissional:

  • promove a funcionalidade, prevenindo, reduzindo e adiando as incapacidades;

  • promove a integridade e a função dos sistemas corporais, essenciais ao movimento e o controlo dos sintomas associados;

  • maximiza a capacidade na realização das atividades e o desempenho na participação social;

  • dá destaque à qualidade de vida em indivíduos ou grupos de indivíduos com alterações do comportamento, do movimento ou perturbações da sua funcionalidade;

  • contribui para o objetivo de diminuir a readmissões hospitalares e/ou institucionalização precoce.


Na Fisioterapia em Cuidados Paliativos:

  • Utiliza uma abordagem baseada em todas as áreas do saber da Fisioterapia;

  • Destina-se a pessoas com doenças que ameacem a sua vida e/ou não respondam a uma intervenção curativa;

  • Observa a funcionalidade como uma componente major da dignidade humana;

  • Tem como principal objetivo prevenir e compensar o declínio da funcionalidade, otimizando a mobilidade, a função e proporcionar o máximo de qualidade de vida;

  • Procura atingir os seus objetivos através da prevenção e alívio de sintomas chave e do ensino e treino de competências significativas para o doente, cuidadores e equipa.

Nos Cuidados Paliativos, o fisioterapeuta, inserido numa equipa multidisciplinar, poderá intervir em qualquer fase e ambiente, oferecendo a possibilidade de manter uma vida tão ativa quanto possível.

Fisioterapia Dermatofuncional

Esta especialidade da Fisioterapia responsável pela promoção e reabilitação da funcionalidade do sistema tegumentar. Atua na avaliação, prevenção e recuperação de distúrbios/patologias, procedimentos cirúrgicos e lesões de origem endócrina, metabólica, circulatória, dermatológica, músculo-esquelética ou neurológica que afetem direta ou indiretamente a integridade do sistema tegumentar.

O fisioterapeuta dermatofuncional atua desde a prevenção ao tratamento das (dis)funções tegumentares, sendo a sua intervenção baseada na promoção da saúde, e na reabilitação em contextos reparador e cirúrgico. Assim, poderemos ver este profissional a atuar em diversas condições tais como: gordura localizada, fibro edema gelóide (FEG), flacidez cutânea e muscular, estrias, discromias, cicatrizes, rugas, patologias da pele (rosácea, psoríase, xerose, acne, dermatites e vitiligo), situações de descontinuidade cutânea como queimaduras e úlceras, atendimento pré, trans e pós-operatório, linfedema e mastectomias. Também apresenta um papel importante na luta contra o fotoenvelhecimento e no rastreamento precoce do cancro cutâneo com respetivo encaminhamento para dermatologia.

Tendo em conta que as alterações que envolvem o sistema tegumentar e suas estruturas relacionadas, geralmente afetam a aparência do sujeito, é possível compreender a relevância desta especialidade, que atuará no ponto de vista da funcionalidade, e ainda representará um importante papel psicossocial.

Em Portugal, a Fisioterapia Dermatofuncional começou a dar os primeiros passos há cerca de 10 anos. Embora seja um passado recente, já conta com dezenas de profissionais qualificados a intervir diariamente na mesma de norte a sul do país, maioritariamente em regime de prática privada em clínicas e hospitais. Dado que o número de profissionais ainda é reduzido nem sempre é fácil ao paciente encontrar um profissional de referência, devidamente especializado e com experiência, pelo que em breve contamos poder apresentar um sistema de georreferenciação online para facilitar este processo e assim garantir uma Fisioterapia Dermatofuncional de qualidade e maior segurança para a população.

Fisioterapia Desportiva e músculo-esquelética

O Fisioterapeuta no Desporto tem como objetivo principal prevenir lesões, otimizar a mobilidade e contribuir para o melhor desempenho desportivo dos atletas de todas as idades e diferentes níveis competitivos.

  • O Fisioterapeuta no Desporto intervém em populações desportivas de todas as idades com diferentes níveis competitivos (desporto de lazer até alta-competição), numa dimensão individual ou em grupo, com o objetivo de prevenir lesões associadas à prática desportiva, de otimizar a função e contribuir para o melhor desempenho desportivo, através dum conhecimento específico, de capacidades técnicas / psicomotoras e de comportamentos adequados, para a melhor prática profissional.

  • Os Fisioterapeutas no Desporto são inovadores na sua área de intervenção, desafiam e avaliam criticamente a sua prática, desenvolvem novo conhecimento através da investigação, contribuindo constantemente para atualizações da sua prática clínica.

  • O seu papel como líder profissional, influencia a sua cultura e multidisciplinariedade profissional, mantendo-se atualizado sobre o mais recente conhecimento e inovação, envolvendo-as numa perspetiva educacional, assim como, no desenvolvimento de condições profissionais favoráveis à implementação da melhor prática clínica.

  • O Fisioterapeuta no Desporto pretende ainda ser promotor de uma prática segura da atividade física, assim como, promotor da sua profissão na população em geral.

  • A sua visão e o seu comportamento profissional não está apenas assente na compreensão do impacto das lesões no atleta, mas também nos familiares e em todos os que o rodeiam. A sua autonomia nas tomadas de decisões, representam e asseguram a total responsabilidade nos cuidados dos atletas / utentes num contexto propício a muitos conflitos de interesse.

A Fisioterapia Músculo-Esquelética é a área de intervenção dos fisioterapeutas que visa a prevenção e tratamento de problemas com origem no sistema neuro-músculo-esquelético.

A Fisioterapia Músculo-Esquelética tem como objetivo ajudar as pessoas a prevenir, gerir, reduzir ou eliminar a dor e sintomas associados a problemas músculo-esqueléticos através de um raciocínio clínico próprio e técnicas de avaliação/tratamento específicas baseadas no melhor conhecimento científico.

O seu campo de atuação é abrangente, intervindo nos vários níveis de cuidados de saúde, num amplo número de condições de saúde e em pessoas de todas as idades. A terapia manual é a essência terapêutica do fisioterapeuta para tratar alterações de movimento e dor do sistema músculo-esquelético; nomeadamente para músculos, tendões, articulações, ligamentos, nervos e vísceras.

A terapia manual de hoje desfruta de comprovadas provas clínicas e científicas, que dão segurança, eficácia e adaptabilidade em tratamentos para diferentes perfis de pacientes.

Existe diferentes metodologias de terapia manual dependendo do tecido a ser tratado:

  • Terapia articular manual: Orientado para restabelecer a mobilidade total da articulação e destina-se a eliminar a dor que pode existir com o movimento. Podem ser usados a partir de técnicas leves e mantidas, para a osteoporose ou edema ósseo, para técnicas súbitas e breves para desbloquear estrangulamentos. Eles também podem ser passivos ou assistidos. Nós incluímos como a terapia articular manual: o conceito Mulligan, o método de McKenzie, o método de Watson, o conceito de Maitland e a osteopatia estrutural.

  • Terapia miofascial: dirigida para relaxar a tensão muscular ou miofascial, para retornar a elasticidade original e para eliminar a dor. Incluímos como terapia manual ou miofascial: reeducação postural global (RPG), técnicas neuromusculares, punção seca e massagem transversal profunda (MTP).

  • Terapia neuromuscular: focada em restabelecer a mobilidade e a elasticidade necessárias, para que o sistema nervoso se mova corretamente e transmita os estímulos de forma fisiológica, para evitar sintomas como formigueiro, dormência, falta de sensibilidade ou dor.

  • Terapia visceral: Destina-se a manipular as vísceras para liberar tensões abdominais. Por manobras suaves mas seguras, as vísceras são manipuladas em relação à caixa torácica, à musculatura do abdómen ou outras vísceras. Indicada em casos de hérnia de hiato, obstipação, menstruação dolorosa e irregular.

Fisioterapia Neurológica

Na Fisioterapia Neurológica, o fisioterapeuta avalia e intervém ao nível das sequelas das lesões neurológicas, estando também responsável por prevenir o início dos sintomas e da progressão das deficiências, das limitações funcionais e das incapacidades que são consequência de doenças, perturbações ou lesões.

A fisioterapia neurológica pode ajudar pessoas com doenças e distúrbios neurológicos como:

  • Alzheimer;

  • Lesões cerebral;

  • Paralisia cerebral;

  • Esclerose múltipla;

  • Doença de Parkinson;

  • Lesão da medula espinhal;

  • Derrame;

  • Entre outros.

O tratamento tem como objetivo principal dar a maior qualidade de vida possível ao utente, promovendo o aumento da capacidade de resposta dos membros, tratar a paralisia e reverter o aumento da força dos músculos, reduzindo a atrofia muscular.

Fisiatria Pediátrica

A Fisioterapia pediátrica é uma área de intervenção que requer conhecimentos e práticas especializadas. O fisioterapeuta pediátrico é um profissional de saúde qualificado com conhecimentos e competências nas áreas do desenvolvimento, prevenção, diagnóstico e tratamento de condições de saúde específicas em bebés, crianças e jovens até aos dezoito anos.

Pode ajudar quem tem um atraso, não o seu desenvolvimento, ou anomalias ou movimento ou risco de os sofrer. Todos os tratamentos dentro da fisioterapia pediátrica visam restaurar funções prejudicadas, bem como orientar a criança para um longo período de desenvolvimento motor, com estimulação psicomotora e neuro motora, além de técnicas de fisioterapia respiratória pediátrica, estimulação, tratamento psicomotor postural e banda terapia.

A fisioterapia pediátrica tem um papel muito importante na prevenção de problemas de saúde, com especial destaque para as doenças precoces. Pode aliviar rapidamente problemas como cólicas ou distúrbios do sono.

Devemo-nos lembrar que dentro da fisioterapia pediátrica é importante tentar prevenir, não no futuro, para evitar doenças mais complicadas.

Fisioterapeuta especialista na intervenção em Pessoas com Amputação

A Fisioterapia em pessoas com amputação é uma área de intervenção que requer conhecimentos e práticas específicas. Estas especificidades de intervenção exigem um fisioterapeuta qualificado com conhecimentos e competências nas áreas da prevenção, diagnóstico e tratamento de condições de saúde relacionadas com a amputação. Para uma abordagem tão específica é necessário um desenvolvimento profissional contínuo e aprendizagem ao longo da vida. Nesta área de atuação é fundamental um raciocínio clínico adequado para atender as necessidades imediatas, mas também a longo prazo do paciente amputado. Envolve um trabalho multidisciplinar com diferentes profissionais de saúde e deve ter em conta os objetivos/expectativas do paciente e dos seus familiares e/ou cuidadores.

Fisioterapia Saúde da Mulher e sistema urinário:

A Fisioterapia na Saúde da Mulher é uma área de intervenção dos fisioterapeutas que lhes permite intervir em diferentes fases de vida, maioritariamente femininas, mas também masculinas ao longo do ciclo de vida.

O Fisioterapeuta pode prestar cuidados, individuais ou de grupo:

  • Na gravidez;

  • Pós-parto;

  • Incontinência urinária e fecal feminina, masculina e nas crianças;

  • Condições cirúrgicas da mama e uro-ginecológicas;

  • Condições músculo-esqueléticas durante a gravidez, pós-parto e menopausa;

  • Disfunções sexuais relacionadas com o pavimento pélvico no homem e na mulher.

Este atua no campo da promoção da saúde, prevenção da doença e na reabilitação das diferentes condições clínicas, assim como na educação dos diferentes profissionais de saúde e da comunidade em geral, baseando a sua intervenção na melhor evidência científica.

Saúde Mental

A Fisioterapia em Saúde Mental é uma Aproximação, uma Sensibilização, uma Análise do corpo, por meios passivos ou dinâmicos, verbais ou não verbais. (J.P.Dacos 1984)

Estes meios subentendem o conhecimento e o funcionamento dos sistemas relacionais próprios das teorias da comunicação.

A Fisioterapia em Saúde Mental é uma especialidade nova, que se tem vindo a desenvolver como especialidade nas equipas de saúde mental, devido à crescente preocupação aliada à oportunidade de refletir sobre a Evidência da Prática clínica a partir desta díade Corpo-Mente.

O Fisioterapeuta aborda um corpo desinvestido, sofredor e maltratado e a sua ação diferencia-se pela aproximação corporal que propõe ao paciente, tentando atingir maiores níveis de segurança, reeducando e remodelando.

O papel do Fisioterapeuta é promover o bem-estar e a autonomia das pessoas com disfunções físicas associadas a doenças mentais e vice-versa, se é que as duas realidades se podem separar, utilizando estímulos físicos para as influenciar.

Objetivos: sendo o corpo um dos componentes de desempenho, o papel do Fisioterapeuta será ajudar a pessoa na redescoberta e consciencialização desse corpo através da estimulação sensoriomotora e preceptivo motora, contribuindo para que esse corpo, seja um corpo que sinta e seja atuante; Melhore as capacidades funcionais; Aumente a autoestima; Melhore o autoconceito; Liberte a agressividade; Diminua a ansiedade; Promova o relaxamento.

As técnicas utilizadas incluem mas não se limitam a:

  • Terapia pelo movimento

  • Terapia pelo relaxamento

  • Terapia pelo “toque”

Telefisioterapia

A Telefisioterapia consiste na utilização de meios digitais de comunicação para a realização de intervenção em Fisioterapia de forma remota, seja de modo exclusivo ou como complemento à intervenção presencial.

O/a Fisioterapeuta tem à sua disposição estratégias de intervenção que lhe permitem conduzir este tipo de intervenção de forma segura, com recurso a instrumentos validados e estratégias de intervenção eficazes, nomeadamente ao nível da avaliação, educação relativamente à condição específica de cada paciente, metodologias cognitivo-comportamentais de alteração de comportamentos relacionados com a dor, prescrição de exercício terapêutico e aconselhamento acerca de atividade física.

No entanto, este tipo de prestação de cuidados poderá não ser apropriado em utentes com necessidade de cuidados complexos, em utentes cuja informação clínica não está disponível, quando um exame físico detalhado é necessário ou quando a capacidade para fornecer o consentimento informado está limitada.

Nesse sentido, é recomendado que a decisão de oferecer este tipo de serviço seja informada e ponderada pelos fisioterapeutas.

Para agendar uma consulta de fisioterapia ao domicílio com um dos nossos profissionais clique aqui ou ligue para o +351 911 744 909.

Conte sempre com os profissionais da Ferreira da Cunha Saúde em qualquer situação!

Fontes:

https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1002/pri.419

https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0031940605607468

http://www.fisioroma.pt/

https://www.clinicaltrialsregister.eu/ctr-search/trial/2009-009868-31/NL

https://crbtech.in/clinical-research-physiotherapy

https://www.estadio.ulisboa.pt/info/fisioterapia-musculo-esqueleticadesportiva

5 visualizações0 comentário