FORMAS DE PREVENIR A GRIPE

O período entre novembro e fevereiro é aquele em que o vírus da gripe – doença aguda viral cujos sintomas se manifestam subitamente – se encontra mais ativo. Já a constipação é uma infeção que afeta apenas as vias respiratórias superiores, manifestando-se gradualmente, por exemplo, por nariz entupido, espirros e olhos húmidos. No entanto, ambas têm um aspeto em comum: são mais frequentes com a chegada do tempo frio, altura do ano em que se passa mais tempo em locais fechados e pouco ventilados, que são perfeitos para que haja contágio de vírus. Para evitar gripes e constipações devem ser adotados alguns hábitos de vida saudáveis que ajudem a regular e a fortalecer o sistema imunitário – o escudo biológico que nos protege contra microrganismos capazes de nos deixar doentes – ou a que previnem o contágio. Antes de enumerar algumas atitudes que podem ajudar a prevenir gripes e constipações, vamos esclarecer algumas possíveis dúvidas sobre estas doenças.

Quanto tempo dura a gripe?

Após o contágio, o período de incubação da gripe varia entre 48 e 72 horas.

Normalmente, a gripe ou uma constipação passam ao fim de cinco dias, sem qualquer complicação.

Como se trata a gripe?

A gripe não é causada por bactérias, por isso os antibióticos não estão indicados no seu tratamento. Se estes forem utilizados, será sempre por indicação médica e para as situações clinicamente específicas, nomeadamente complicações do vírus da gripe. A febre, dores de cabeça e dores musculares podem ser controladas com antipiréticos e anti-inflamatórios, como paracetamol e ibuprofeno.

É muito importante repousar e ingerir bastantes líquidos para evitar a desidratação, principalmente quando há febre alta.

A tosse seca pode ser tratada com um antitússico (xarope ou pastilhas) enquanto a tosse com expetoração deve tratada com um xarope expetorante.

Quais são os sintomas de gripe?

Os sintomas de gripe mais comuns são:

  • Febre;

  • Tosse;

  • Nariz entupido e a pingar;

  • Sensação de ardor na garganta;

  • Dores de cabeça e no corpo;

  • Mal-estar geral;

  • Arrepios.

As crianças podem também apresentar outros sintomas como:

  • Náuseas

  • Vómitos

  • Diarreia

"Prevenir é o melhor remédio." Algumas atitudes diárias que podem ajudar a prevenir gripes e constipações


1) Lavar as mãos

Embora a maior parte das infeções sejam transmitidas pelo ar, algumas podem também ser transmitidas pelo contacto físico, quando as mãos infetadas tocam em zonas vulneráveis, como os olhos, boca e nariz.

Lavar as mãos frequentemente pode reduzir de forma significativa as hipóteses de infeção por vírus.

2) Tussa para o cotovelo e use a máscara sempre que sentir os primeiros sinais

É quase instintivo taparmos a boca e o nariz com a nossa mão assim que sentimos um espirro a caminho. Este não é o comportamento mais adequado. Ao tossir ou espirrar para as mãos, estamos a fazer com que o vírus e outras bactérias, circulem livremente pelos vários objetos nos quais tocamos ao longo do dia, aumentando assim o nível de transmissibilidade. Para evitar tais situações, deve tossir para o cotovelo ou para um lenço de papel e descartar logo a seguir no lixo.

Outra medida de prevenção é o uso da máscara: use-a sempre que sentir os primeiros sintomas da gripe.

3) Evite tocar nos olhos e no nariz

Tão importante como lavar frequentemente as mãos está uma medida da qual nos esquecemos por parecer tão inócua: não tocar na cara. Os olhos e o nariz são sítios onde a transmissão é mais provável, pois temos o hábito de lhes tocar sempre que sentimos comichão. Mas, de um momento para o outro, e com os dedos das mãos contaminados, os olhos e o nariz funcionam como uma porta de entrada para o vírus. Existem algumas práticas que quebram este hábito, entre elas desinfetar as mãos antes de as levar à cara, usar um lenço limpo ou até mesmo o cotovelo.

4) Arejar bem a casa

Arejar a casa é uma prática de higiene diária que não requer grandes esforços e pode trazer vários benefícios para si e para quem vive consigo. Ao prevenir problemas do foro respiratório, evita também o aparecimento de ácaros, bactérias e previne ainda concentrações indesejadas de monóxido de carbono. Se viver com crianças, idosos ou outras pessoas com um sistema imunológico mais debilitado, não se esqueça de abrir as janelas e levantar os estores durante algum tempo todos os dias.

5) Não partilhe objetos de uso pessoal

Não beba de um copo que não seja o seu; não use os talheres de outra pessoa; não utilize objetos de higiene pessoal de outra pessoa quando se esquece dos seus. Todos estes cenários abrem portas a um contágio mais facilitado, mas que pode ser evitado se tomarmos as medidas corretas.

6) Evite o contacto com pessoas que apresentem sintomas

O vírus da gripe espalha-se pelo ar em gotículas quando alguém portador do mesmo tosse, espirra ou fala. Estas gotículas podem ser inaladas diretamente, o que aumenta a probabilidade de transmissão em espaços com um elevado número de pessoas, ou com uma ventilação fraca. Assim, evite grandes aglomerados de pessoas e preste atenção a quem apresente os sintomas mais ligeiros — tosse seca, febre, fadiga —, quer seja no seu local de trabalho, em sua casa ou entre amigos.

7) Vacine-se

A vacinação é talvez a forma mais rápida e eficaz de nos protegermos do vírus da gripe. O processo de agendamento já se encontra disponível e a decorrer por ordem decrescente de idades, começando pelos utentes com idades iguais ou superior a 80 anos.

8) Escolha um estilo de vida saudável

Escolher um estilo de vida mais saudável não só é importante para prevenir o vírus da gripe neste inverno, como pode ajudá-lo a viver com qualidade a longo prazo. Não é preciso fazer mudanças drásticas no seu dia a dia, nem definir um orçamento exagerado para incentivar novos hábitos: pequenos gestos podem fazer uma grande diferença no seu bem-estar mental e físico e podem passar por ações tão simples como:

Mexa-se mais;

Pelo menos uma vez por dia, divirta-se, conviva, ria, etc. Estes movimentos ajudam a alcançar a imunidade ao longo desta estação mais fria;

Boa Hidratação; As constipações e gripes são infeções virais. Por isso, os antibióticos devem ser apenas tomados em casos graves de infeções bacterianas. Uma das melhores defesas passa pela hidratação: cerca de 8 copos de água por dia ajudarão à boa função dos rins e a expulsar toxinas.

Durma bem;

A ausência de umas boas horas de sono (em quantidade e em qualidade) enfraquece o sistema imunitário e torna-nos mais vulneráveis a infeções. Sob stress, ficamos mais sujeitos a doenças, em comparação com os momentos de tranquilidade que uma boa noite de sono nos pode proporcionar.

Coma bem.

Escolher uma alimentação saudável é imperativo para uma vida prolongada, mas as temperaturas baixas requerem escolhas adequadas e que ajudem a defender o nosso organismo. Opte por alimentos ricos em vitaminas A, C, B6, B12, D, e E.

Hortícolas, frutas e peixes gordos, como a sardinha, a cavala e o atum, são também excelentes opções para reforçar as defesas naturais do nosso corpo.


Faça uma alimentação “colorida”;

Ao consumir fruta e legumes estará a reforçar as defesas do organismo. Inclua na sua alimentação frutos vermelhos, citrinos, maçãs, quivis, espinafres, couve, cenoura, cebola e alho que são ricos em nutrientes como a vitamina C e E, betacaroteno e zinco. Chás e infusões são úteis no combate ao frio e eficazes na expulsão de microrganismos nefastos. Por outro lado, deve evitar o consumo de alimentos ou bebidas ricas em açúcar, dado que este ingrediente afeta o bom funcionamento das células do sistema imunitário. Artigo escrito por: Enfª Inês Félix

Artigo revisto por: Dr. Miguel Ferreira da Cunha



8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo