top of page

Dor no fundo das costas? O que posso fazer?



A lombalgia é uma dor na região mais inferior das costas que pode, ou não, irradiar para os membros inferiores. Em 90% dos casos é uma dor sem origem aparente.

Esta patologia afeta muitos indivíduos e é muitas vezes causa de cessação da atividade profissional, diminuição da funcionalidade e da qualidade de vida. Por ser uma patologia de origem muitas vezes incerta, causa uma sensação de impotência e dificuldade de aceitação da doença por parte do indivíduo.


O diagnóstico desta patologia normalmente é feito através de um exame minucioso da história clínica e das características físicas e psicossociais do utente, de exames como raio-x, TC-Scan, ressonância magnética, entre outros exames que o médico considere relevantes.


Poderá ouvir falar em lombalgia aguda e crónica e não entender a diferença. Esta diferença consiste apenas na duração da patologia. A lombalgia aguda, apesar de ser muitas vezes a mais incapacitante e intensa, também é aquela que, por norma, desaparece num espaço de 6 semanas (estimativa). Por outro lado, a lombalgia crónica é uma condição que perdura mais no tempo, sendo a sua duração superior a 8 ou 12 semanas.

As causas desta patologia podem derivar de qualquer dano existente nos músculos, ossos, ligamentos, nervos ou outras estruturas dessa região. Contudo, é de realçar que muitas vezes a dor tem uma origem psicossocial, nomeadamente stress, depressão, ansiedade - entre outras - que contribuem parcialmente ou até mesmo na totalidade para o problema.

Alguns mitos que ouvimos!

“Não posso levantar pesos” "As minhas costas são frágeis”

"Não me posso mexer”

“Tenho costas tortas e por isso é que tenho dores”


Pensar que se realizar uma atividade que provoca dor, que não pode fazer mais essa atividade.... pensar que o descanso é o principal tratamento. Devemos desmitificar estas afirmações. A lombalgia, tal como muitas patologias, tem causa multifatorial, o que que quer dizer que muitas vezes a dor não é causada por um único motivo, mas sim por um conjunto de motivos. Cada caso é um caso e deve ser analisado individualmente.

Também devemos entender que só por si as alterações posturais, na maior parte dos casos, não são motivo para causar dores lombares.


O que posso fazer para resolver este problema?


Na maioria dos casos, a dor lombar crónica tem um prognóstico favorável, sendo esperado que 90% dos utentes recuperem entre 6 a 8 semanas, podendo a dor passar sem ser necessária intervenção médica. Contudo, nos casos em que seja necessária intervenção médica ou a dor prolongue mais do que este período de tempo descrito é importante pedir uma avaliação médica. O tratamento normalmente passa por prescrição de terapêutica medicamentosa e encaminhamento para a fisioterapia.


A fisioterapia desempenha um papel fundamental nestas patologias, sendo importante o ensino ao utente, o aumento da mobilidade, força e resistência muscular e aumento da tolerância à dor.

Outras técnicas passivas, tais como a massagem, electroestimulação, terapia manual - entre outras - poderão ser importantes para ajudar no controlo da dor.


O mais importante de tudo é NÃO PARAR DE SE MEXER.


A nossa coluna é uma estrutura fortíssima que foi concebida para o movimento! Se tirarmos a função principal da nossa coluna, ou seja, se lhe dermos descanso a mais, esta estrutura vai acabar por perder a capacidade de se mobilizar e muito provavelmente piorar a sua condição física.


Por isso, deve sempre aconselhar-se com o seu fisioterapeuta para entender o que pode fazer para o ajudar. Descreva minuciosamente o que lhe dói e quando lhe dói, quais os movimentos ou atividades que para si são difíceis, para que depois nós o possamos aconselhar se é necessário mudar algo ou não, ensinando quais as alternativas que existem disponíveis.


Escrito por:

Fisioterapeuta Teresa Lourenço



Fontes bibliográficas

1) Urits I, Burshtein A, Sharma M, Testa L, Gold PA, Orhurhu V, Viswanath O, Jones MR, Sidransky MA, Spektor B, Kaye AD. Low Back Pain, a Comprehensive Review: Pathophysiology, Diagnosis, and Treatment. Curr Pain Headache Rep. 2019 Mar 11;23(3):23. doi: 10.1007/s11916-019-0757-1. PMID: 30854609.


2) Koes, B. W., van Tulder, M. W., & Thomas, S. (2006). Diagnosis and treatment of low back pain. BMJ (Clinical research ed.), 332(7555), 1430–1434. https://doi.org/10.1136/bmj.332.7555.1430


3) Knezevic NN, Candido KD, Vlaeyen JWS, Van Zundert J, Cohen SP. Low back pain. Lancet. 2021 Jul 3;398(10294):78-92. doi: 10.1016/S0140-6736(21)00733-9. Epub 2021 Jun 8. PMID: 34115979.


4) Casiano VE, Dydyk AM, Varacallo M. Back Pain. 2021 Jul 18. In: StatPearls [Internet]. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing; 2021 Jan–. PMID: 30844200.


87 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page