top of page

Métodos Naturais para Estimular o Parto



Por norma, a partir das 40 semanas de gestação (senão antes) as gestantes começam a ficar desconfortáveis, impacientes e possivelmente ansiosas por se encontrarem na reta final da gravidez, antecipando a fase que vem aí. Porém, cada gravidez é única e pode demorar mais ou menos tempo até o trabalho de parto efetivamente se iniciar, podendo muitas vezes este compasso de espera se prolongar até às 41 semanas (período em que o bebé é considerado de grande termo).


A partir das 39 semanas, e salvo situações em que tenha ocorrido alguma complicação médica durante a gestação e/ou haja uma contraindicação médica, as gestantes podem recorrer a alguns métodos e estratégias naturais que poderão acelerar o processo de indução natural do trabalho de parto, mesmo antes de ter de ir para o hospital!


Este artigo refere algumas das estratégias naturais e/ou desmistificações, que pode realizar em casa nos dias que antecedem o trabalho de parto, sempre que a gestante se sentir confortável e predisposta para tal, não sendo estas de caráter obrigatório ou essencial para experienciar um trabalho de parto saudável e feliz.


1. Relações Sexuais


De facto, ter relações sexuais ao longo da gravidez é um tema que tende a ser mais considerado, sendo cada vez mais natural e tem vários benefícios tanto para o casal como para a gestante.

O casal deverá manter estes momentos de intimidade sempre que ambos consentirem, salvo exceções em que existe indicação médica para proceder a abstinência (ex: algumas situações de gravidez de alto risco em que é mandatário descanso total).

No final da gravidez - e se ambas as pessoas se sentirem confortáveis - aumentar a regularidade da atividade sexual pode ajudar a induzir o trabalho de parto, uma vez que o esperma contém prostaglandina. Esta hormona amolece o colo do útero da gestante, cujo efeito pretendido apenas acontece quando este se encontra maturado e numa fase tardia (não acarretando qualquer risco em fases anteriores na gravidez) e o orgasmo provoca a libertação de oxitocina - hormona que estimula as contrações uterinas.

Não tenha receio, ter relações sexuais na gravidez até pode provocar alguma estranheza e desconforto pelo facto de existir alguém a crescer na barriga, mas este encontra-se devidamente protegido e salvaguardado desta atividade.

2. Comidas quentes


Apes