Qual o papel da Osteopatia na Plagiocefalia?



Plagiocefalia – como esta poderá afetar o desenvolvimento do seu bebé?

Se verifica alterações no formato da cabeça do seu bebé nos primeiros meses de vida, este artigo pode ser para si!

O artigo que se segue, irá abordar a Plagiocefalia, a sua definição e de que modo a mesma interfere com o organismo. A Osteopatia tem resultados comprovados na correção do formato da cabeça do bebé através da utilização de técnicas sacrocranianas, o que poderá impedir consequências futuras no seu desenvolvimento.

O que é a Plagiocefalia?

A Plagiocefalia está associada ao formato assimétrico da cabeça (cabeça oblíqua) sendo detetada em 1 em cada 3 bebés, com maior proporção para o sexo masculino.

A principal característica é o achatamento da região occipital (região posterior da cabeça) de um dos lados, com proeminência na região frontal do mesmo lado. Para além destas alterações mais evidentes, poderão existir outras alterações a nível da face, embora estas não sejam tão frequentes. As plagiocefalias podem ser classificadas como sendo sinostóticas, causadas pelo encerramento precoce de uma ou mais suturas cranianas (a zona de união entre os ossos do crânio) e que requerem correção cirúrgica, ou deformacionais, causadas por forças externas atuando sobre o crânio.

Quais as causas da Plagiocefalia?

O crânio do bebé é relativamente fino e flexível, podendo deformar-se facilmente quando sujeito a uma pressão exterior. Esta flexibilidade é necessária durante o parto para permitir a passagem da cabeça do bebé pelo canal do parto sem lesões, mas torna também o crânio do recém-nascido mais suscetível de sofrer deformações.

Também é normal que alguns bebés tenham a tendência para rodar a cabeça mais para um dos lados, dado ao posicionamento intra-uterino ao longo do período gestacional.

Contudo, no caso de ter existido um trabalho de parto mais prolongado, o formato da cabeça poderá igualmente sofrer alterações devido ás pressões intra-uterinas e á utilização de fórceps ou ventosas no parto.

Quais as consequências da Plagiocefalia?

A Plagiocefalia pode provocar atrasos no desenvolvimento motor e cognitivo do bebé, de acordo com vários estudos realizados, embora não seja 100% consensual.

Também é associada (embora não consensual) ao aparecimento de:

  • Alterações visuais (estrabismo);

  • Escoliose;

  • Cefaleias (dores de cabeça)

  • Alterações a nível da oclusão dentária;;

  • Alterações auditivas e de equilíbrio.

Formas de Prevenção

A prevenção poderá ser um elemento chave para a correção desta condição clínica e poderá ser efetuada através de conselhos dados aos pais, tais como:

  • Colocar o bebé deitado de barriga para baixo, pelo menos 3 vezes por dia durante cerca de 20/30 minutos com supervisão dos pais (para fortalecer a musculatura cervical);

  • Durante o sono do bebé, alternar a rotação da cabeça do bebé para não estar sempre na mesma posição;

  • No aleitamento materno (no caso de ser artificial), alternar o lado em que dá o biberon;

  • Utilização de almofada específica para o efeito para ajudar no posicionamento da cabeça.

Tratamento Osteopático

O tratamento osteopático deve ter início antes dos 6 meses, visto que 85% do crescimento do crânio ocorre no 1º ano de idade. O Osteopata irá atuar sobre cada uma das suturas cranianas do bebé, de forma a flexibilizar as zonas rígidas e achatadas, bem como promover um crescimento mais homogéneo e simétrico da cabeça, através da utilização de técnicas suaves e sem causar dor ao bebé.

O Osteopata poderá também mobilizar suavemente a região da coluna vertebral, bacia e ancas do bebé, de forma a equilibrar tensões e evitar alterações músculo-esqueléticas no mesmo.

Saiba mais aqui sobre a Osteopatia Pediátrica – como a pode beneficiar a si e ao seu bebé?

Pretende marcar uma consulta de Osteopatia?

Descubra as nossas consulta ao domicílio!

Saiba mais clicando aqui

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo